Loading...

"A aproximação entre as empresas e as organizações sociais é uma oportunidade geradora de vantagens comuns"

"Empresas com propósito e missão: como investir na comunidade?" foi o mote que a Associação Trata-me Por Tu lançou para a união das empresas com as instituições da economia social. Em parceria com a Junta de Freguesia de Moreira, território onde se encontra instalada a associação, e a Turnaround Social, a iniciativa juntou administradores de empresas e gestores de projetos de várias organizações, a maioria do município da Maia, que dão resposta a necessidades específicas da comunidade.

 

Alexandra Camacho e Maria da Saúde Inácio, ambas da Turnaround Social, fizeram um enquadramento do setor da Economia Social em Portugal e também do cenário atual em termos de apoio das empresas. A filantropia empresarial a instituições da Economia Social, segundo dados de 2015, alcança cerca de 163 milhões de euros em donativos sendo que apenas 21% do tecido empresarial português tem prática regular de apoio a estas instituições. Outro dado curioso é que o apoio financeiro das pequenas e médias empresas iguala praticamente o das grandes empresas, 45% e 55%, respetivamente. Para Cláudia Ribeiro, da Associação Trata-me Por Tu, "cabe às empresas, enquanto geradoras de riqueza por definição, afirmarem-se na sociedade e na sua comunidade pela forma como assumem a sua responsabilidade e como concretizam a sua missão, também social."

 

O evento ficou ainda marcado, entre outros, pela apresentação de projetos do Centro de Dia de São Pedro Fins, da APPACDM da Maia e pela Associação dos Antigos Alunos da Escola Primária de Pedras Rubras, e contou com a presença especial de Carlos Moreira, Presidente da Junta de Freguesia de Moreira, e de Paulo Ramalho, Vereador da Câmara Municipal da Maia.